Medalha de mérito Princesa Tecelã é entregue a Juarez Godoy em sessão solene

Publicado em: 07 de novembro de 2018

Selecione a Imagem

A Câmara Municipal de Americana realizou na terça-feira (6) a solenidade de entrega de medalha de mérito “Princesa Tecelã” a Juarez Godoy, idealizador do movimento “Juca Jazz”. A homenagem foi motivada por projeto de decreto legislativo de autoria do vereador Marco Antonio Alves Jorge, o Kim (MDB).

 

Participaram da solenidade a vereadora Maria Giovana (PC do B) e o vereador Marco Antonio Alves Jorge, o Kim, além de familiares, convidados e amigos do homenageado. A cerimônia contou com sonorização do DJ Viny Blanco e uma apresentação musical do trio Juca Jazz, composto pelos músicos Márcio Lemos (guitarra), Heber Pequeno (bateria) e Aroldo Luvisotto (contrabaixo).

 

Durante o uso da palavra, o presidente da sessão afirmou estar feliz em poder proporcionar a homenagem a Juarez. “Ele tem feito muito por Americana. Conheci-o cantando no Corda Coral de Americana e quando vi aquele coral diferente, animado, moderno, me interessei e até me inscrevi para conseguir uma vaga nem movimento de musical. Juarez era um articulador e sempre ajudava todos na horas dos ensaios. Depois veio o “Juca Jazz” que pegou, contaminou e cresceu tanto que motivou a Câmara Municipal a criar um dia municipal do Jazz e o incluir no calendário oficial da cidade. Só tenho que parabenizá-lo”, falou Kim, autor da homenagem.

 

Juarez usou a palavra para agradecer a honraria. “É uma grande honra receber a medalha Princesa Tecelã. Quero agradecer a todos que fazem parte dessa luta, porque mesmo sem recursos e com apoios limitados - valorosos, mas limitados –, a gente consegue fazer bastante. Compartilho esse prêmio com todos os artistas da cidade, principalmente com os músicos. Muito obrigado pela homenagem”, finalizou.

 

Biografia

 

Juarez Santos Godoy é natural de São Paulo e reside em Americana desde os 5 anos de idade. É Repórter Fotográfico e Fotógrafo de Publicidade desde 1986. Recebeu vários prêmios em concursos fotográficos. Fez exposições individuais no Brasil e também na França em duas ocasiões.  Em 2002, lançou uma série de Cartões Postais de Americana. É autor do livro de arte fotográfica “Memória Viva de Americana”, 2011 – Editora Adonis e tem participação em vários outros.

 

Participa ativamente de atividades culturais desde meados dos anos 70. Foi conselheiro do Museu de Arte Contemporânea de Americana e do Conselho Municipal de Cultura. Como percussionista, participou durante alguns anos do Carnaval de Rua de Americana e dos primeiros festivais de música popular brasileira. Foi vocalista e um dos pioneiros do CORDA–Coral de Americana.

 

Recebeu o Prêmio “Destaques Culturais do Ano” na categoria Artes Visuais por dois anos consecutivos: 2010 e 2011, e na categoria música em 2018. Recebeu o título de "Cidadão Americanense" da Câmara Municipal em 2013. Mantém seu estúdio de fotografia publicitária em Americana, sendo um dos pioneiros na região. Em 2018, completou 37 anos de atividade e 32 de profissão.

 

Como produtor cultural, criou em 2016 o Movimento Juca Jazz, que abriu espaço para os músicos em apresentações mensais, além de incluir Americana oficialmente, como a primeira cidade do interior do Estado, na celebração mundial do Dia Internacional do Jazz - promovido pela UNESCO - Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura. Sob sua organização, em 2018, Americana novamente participou oficialmente desse evento, que envolve mais de 190 países, celebrando também, pela primeira vez, o Dia Municipal do Jazz.


Escrito por: Coordenadoria de Comunicação

Categoria: Sessões Solenes

Compartilhe essa notícia

Notícias Relacionadas